quarta-feira, 17 de novembro de 2010

fim sem começo

Nem sente, nem vê. Mas sabe! foi um fim sem começo para um começo sem fim. a dor nem tanto foi crítica, mas o arrependimento, torturante no pensamento insano, desesperado é a morte! o total contrário desta vida, mas que te dá vida, porém eterna. talvez isolada, sofrida, ou mesmo calma. quem sabe? não precisa e nem adianta sentir medo, e nem ter coragem. a inércia desta hora será grande, será infinita. seu fim lembrado, muitas vezes ao acaso. alguma lembrança sem valor - mas lembrança - deixada para trás. tão simples, também, é a morte por ser morte. por não morrer ao contrário da vida que sempre acaba, sempre morre!

Nenhum comentário:

Postar um comentário