domingo, 21 de novembro de 2010

É sobre acreditar sem ver.

Antes das férias eu emprestei uma revista cristã para o meu professor de biologia. Ele não devolveu até hoje, mas não é sobre isso que eu quero falar. É que aquela era uma revista legal. Tinha várias reportagens sobre a existência de Deus. Matérias a respeito das provas cientificas sobre o fato de Deus existir, exemplos de cientistas, pintores, biólogos, matemáticos, físicos e químicos que acreditavam em Deus e se baseavam até mesmo em suas teorias para isso. Havia o depoimento de famosos que contavam o motivo pelo qual não acreditam em Deus. E havia algo interessante. Era sobre acreditar sem ver.
É fácil acreditarmos nas pessoas, porque nós as vemos. Muitos se baseiam naquela mentira de que é preciso ver para crer e continuam acreditando em pessoas. É certo que não podemos ver Deus, mas não é tão difícil assim crer, basta querer.
Eu penso na facilidade que temos para acreditarmos nas pessoas. O que nós, pessoas, temos de tão convincente para que eles, as outras pessoas, achem que nós existimos de verdade? Eu acho que o fato de podermos nos ver não é o bastante. Uma pessoa diz à outra que a ama com muita facilidade. E também é assim com o ódio. Acho que sejam palavras fortes demais para serem ditas a pessoas com tão pouco tempo de convivencia. Como podemos saber que aquela pessoa que vemos e ouvimos existe de verdade? E Deus? Só porque nós não o vemos, não significa que ele não exista e não nos ame. A existência dele é muito mais real e mais convincente do que a existência de qualquer... Pessoa.
Essa revista contava a história de uma mulher que há algumas décadas, se eu não me engano, foi manchete de muitos jornais por ter sido vítima de algum tipo de golpe: ela era casada havia anos com um homem até que de repente ele some e ela descobre que ele tinha uma outra identidade/personalidade/vida completamente diferente da que ela conhecia. Ela acreditou nele e então descobriu que era mentira. Ela podia vê-lo.
E por que é tão difícil acreditar em um Deus que não te desampara, não te abandona e não mente pra você apenas pelo fato de você não poder vê-lo? Dá pra sentir Deus, e quando você sente, vê que é mais bonito do que se pudesse ser visto, porque é absurdamente bom senti-lo. Absurdamente bom, prazeroso e satisfatório. A sua existência é absurdamente mais convincente quando você o sente. Mais convincente do que a existência de qualquer pessoa.
Quando você acredita em Deus e passa a senti-lo, aí você pode enxergar. Não enxergar Deus face a face como você enxerga os seus pais ou seu/sua namorado/a. Enxergar o que Ele faz com a sua vida, e você vai ver quão bom isso é. E o quanto vale a pena acreditar nele e poder senti-lo.
As pessoas mentem, as pessoas mudam, enganam, te abandonam. Deus nunca vai fazer isso porque ele te ama. Se Ele nunca te disse isso não se preocupe, porque ele já provou quando enviou seu próprio filho. E era pra ser você lá naquela cruz. E esse 'eu te amo' que Deus mostrou é bem mais convincente do que o 'eu te amo' que você ouviu do/a garoto/a que você conheceu há duas semanas.
Nós costumamos gostar muito quando alguém diz que nos ama, e nós nem sabemos se é verdade... E olha que as chances de não ser verdade são grandes! E quantas vezes ignoramos alguém que diz que Jesus nos ama? O amor que Jesus tem a oferecer é bem maior e real do que o amor que aquela pessoa disse ter. Você sabe se essa pessoa existe? Jesus existe. Você não pode ver, mas Ele existe e te ama bem mais que aquela pessoa.
Deus não é homem pra mentir. Não é filho do homem pra enganar. Ele não muda, não te abandona, não te desampara. Ele mesmo prometeu isso... É só acreditar. Ainda que não veja.
Deus existe. Você não está o vendo, mas Ele pode te ver.

Nenhum comentário:

Postar um comentário